O Ministro do Interior, Amade Miquidade, descreve como “complexa” a situação militar na província de Cabo Delgado, devido à acção dos insurgentes que aterrorizam aquela região de Moçambique.

Falando ontem, 27 de maio, no parlamento, o ministro disse que a complexidade deve-se à aposta na estratégia de guerrilha pelos insurgentes.

“A situação é complexa. Os insurgentes recorrem a técnicas de guerrilha, raptam elementos da população para integrarem as suas caravanas, em parte, para dar a sensação de serem numerosos” descreveu Miquidade.

Por outro lado, o ministro disse que os insurgentes usam técnicas sofisticadas de reconhecimento, tais como drones, dando lhes alguma eficácia, contudo, disse que as Forças de Defesa e Segurança continuam a repelir o grupo, e assim será “até à vitória final”.

Triunfalismo questionado

As informações partilhadas pelo ministro surgem semanas depois de alguns anúncios de vitórias no campo de batalha, com a morte de dezenas de insurgentes. Na altura, vários analistas questionaram o triunfalismo das autoridades de Maputo.

Para Gabriel Ngomane, analista político moçambicano, as revelações de Miquidade mostram apenas que a guerra contra grupos terroristas não se vence com curtas vitórias.

“A experiência mostra que a luta contra o terrorismo é muito longa. Não basta apenas que as tropas estejam em prontidão combativa, é preciso muitos meios e muito tempo, pelo que, acho que o governo deve aliar-se a países que tem experiência e, de facto, podem ajudar” avaliou.