África anunciou esta sexta-feira o registo de mais 62 mortes com Covid-19 e também de mais 2.300 infecções por Covid-19 registados no espaço de 24 horas.

No global, de acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças em África, o continente soma 2.074 mortes e 54.027 casos de doença no âmbito da pandemia, desde a alegada entrada do vírus na região no final de Fevereiro.Estes números estão ainda longe da dramática estimativa da Organização Mundial de Saúde, revelada quinta-feira, e que prevê, só para o primeiro ano da presença deste novo coronavírus no continente e se as medidas de contenção falharem, a ocorrência de até 190 mil mortos.

Comparando com o fluxo de novos casos de países europeus e da América do Sul, ressalta o ritmo muito mais acelerado com que o SARS-Cov-2 está a alastrar e a matar, por exemplo, na Rússia (10.699 novas infeções/ 98 mortes em 24 horas) ou no Brasil (9.888/ 610), os mais afetados em ambos os continentes.

O número de pessoas recuperadas em África é de 18.636 e, neste particular, os dois exemplos citados atrás apresentam um melhor registo: a Rússia já passou 26.698 “altas” e o Brasil 55.350.

O norte de África mantém-se como a região do continente mais afetada pela doença, com 1.195 mortos e 19.808 casos registados.

Na África Ocidental, há 343 mortos e 15.213 infecções.

A África Austral contabiliza 177 mortos, em 8.765 casos de covid-19.

A pandemia afecta 53 dos 55 países e territórios de África, com cinco países – África do Sul, Argélia, Egipto, Marrocos e Nigéria – a concentrarem cerca de metade das infecções pelo novo coronavírus e mais de dois terços das mortes associadas à doença.