Um novo ataque armado a um centro de saúde deixou quatro pessoas e um ferido no início da noite de segunda-feira, 20, na aldeia de Macorococho, na província moçambicana de Sofala.

Testemunhas disseram à VOA que uma mulher e três homens foram atingidos por uma “chuva de balas” durante o ataque ao centro de saúde, que foi incendiado, após o grupo armado ter saqueado vários tipos de medicamentos.

A casa do chefe do posto local foi igualmente incendiada.

“Chegaram no centro de saúde e começaram a disparar”, descreveu António Chiranga, um morador local, e acrescentou que o grupo depois entrou na povoação e disparou contra civis.

“Morreram três pessoas e uma está gravemente ferida (que veio depois a perder a vida)” disse uma funcionária do centro de saúde, descrevendo que após o ataque várias pessoas se refugiaram nas matas, estando um funcionário desaparecido.

Outro morador contou à VOA que a população que estava refugiada nas matas começou a deixar a aldeia de Macorococho no inicio da manhã desta terça-feira, para se refugiar em aldeias vizinhas, após ameaças de novos ataques.

“Depois do ataque eles (os atacantes) foram deixando recados (aos sobreviventes): ‘nos ainda estamos aqui’”, disse Gedeão Mateus, em alusão ao retorno das investidas armadas as aldeias da região.

A zona da nova incursão não fica distante do local onde foi abatido a tiro, em Outubro passado, um agente da Polícia moçambicana durante um ataque ao posto policial, onde foi roubado também armamento.

A Policia de Sofala ainda não reagiu ao novo incidente.