Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou uma medida na quinta-feira (09) para limitar a capacidade de o presidente Donald Trump intervir militarmente no Irã. Na prática, a resolução determina que ele “cesse o uso das Forças Armadas dos EUA para se engajar em hostilidades no ou contra o Irã” a menos que haja autorização do Congresso.

A autorização se daria por declaração de guerra ou por algum decreto estatutário de autorização. Se a intervenção for “necessária ou apropriada para defender um iminente ataque armado contra os EUA”, é admitida a excepção.

Foram 224 votos a favor contra 194. Apesar de ter passado na Câmara, de maioria democrata, a resolução só valerá se aprovada pelo Senado, onde a maior parte dos parlamentares é republicana.

Na Câmara, a resolução foi proposta pela presidente da casa, a democrata Nancy Pelosi, e apresentada pela deputada Elissa Slotkin, do partido Democrata de Michigan. Ela é ex-analista da CIA, agência de inteligência estadunidense, e funcionária do Departamento de Defesa.

Após ataque

Trump foi criticado por não ter comunicado ao parlamento sobre sua decisão de autorizar ataque que resultou na morte do general iraniano Qassim Suleimani. No último domingo (05), o presidente chegou a dizer que sua série de tuítes ameaçando o Irã serviriam de aviso ao Congresso.

Metrópoles