Os dados preliminares do INGC indicam que quatro pessoas morreram, na cidade da Beira, perto de duas mil estão isoladas por via terrestre no distrito de Nhamatanda, e outras 5700  foram afectadas de diferente formas, pelas intensas chuvas que caíram nos primeiros três dias desta semana em toda a província de Sofala.  

O distrito do Búzi é que está a causar maior preocupação as autoridades neste momento, onde cerca de  300 famílias foram movimentadas para zonas seguras.

Estes dados foram avançados numa conferência de imprensa organizada pelo INGC em Sofala, que tinha como objectivo partilhar com a imprensa os primeiros dados preliminares relativos aos danos provocados pelas chuvas que caíram com muita intensidade nos passados dias 19, 20 e 21 deste mês, naquele ponto do país. Face a isso, os conselhos técnicos de todos os distritos foram activados.

Ainda de acordo com o INGC, as chuvas inundaram 4700 casas em toda a província de Sofala e destas 49 são de construção precária foram destruídas, sendo 29 totalmente e 20 de forma parcial. As chuvas inundaram ainda mais de seis mil hectares com culturas diversas, mas felizmente ainda não são dadas como perdidas.

As chuvas condicionaram ainda a circulação em algumas rodovias do interior.

Mais de dois mil e duzentos quites contendo medicamentos diversos já estão na cidade da Beira

Mais de dois mil e duzentos quites contendo medicamentos diversos,   para combater doenças de origem hídricas chegaram hoje na cidade da Beira. Cada quite tem a capacidade para tratar mil pessoas.

O Ministério da Saúde, no âmbito de medidas preventivas, face a esta época chuvosa, descarregou nesta sexta-feira diversos tipos de medicamentos para tratar doenças de origens hídricas na província de Sofala, nos próximos seis meses. São no total dois mil e duzentos e noventa quites, que contêm, entre outros medicamentos, anti-diarreicos.

O sector de saúde exortou  as comunidades a alertarem as autoridades competentes caso sejam apenas administrado paracetamol, sob alegação que não há medicamentos.

A distribuição destes medicamentos vai ser imediata, ou seja, é já a partir da próxima segunda-feira em que serão colocados em todas as unidades sanitárias.