A Controladoria-Geral da União cassou a aposentadoria do ex-presidente petista da Petrobras José Sérgio Gabrielli. Ele chefiou a estatal entre 2005 e 2012, durante os governos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

O acto foi publicado na edição do Diário Oficial da União de terça-feira (24) e é assinado pelo ministro substituto da CGU, Valmir Gomes Dias. Com base em parecer de 6 de Dezembro, entendeu que a aposentadoria pôde ser cassada porque o petista praticou infrações disciplinares à frente do cargo.

Gabrielli é investigado pelo Tribunal de Contas da União em processo que apura superfaturamento de obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

Além de chefiar a Petrobras, Gabrielli também trabalhou como professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Em nota, a executiva municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) de Salvador diz que a decisão é “mais uma de várias acções de perseguição” do governo Jair Bolsonaro (sem partido) e que a aposentadoria de Gabrielli é fruto de 36 anos de magistério na UFBA. “O que está em curso é a contínua utilização das instituições da República para perseguir adversários, dificultando-lhes a vida, o sustento, atentando contra a própria dignidade humana”, diz a nota.

Metrópoles