A Inspecção-Geral do Trabalho (IGT), em Maputo, suspendeu 27 trabalhadores ilegais que se encontravam a exercer as suas actividades na nova cervejeira de Moçambique, em construção, no distrito de Marracuene, província de Maputo, noticiou a ontem Rádio Moçambique.

Os trabalhadores suspensos estavam afectos a duas empresas subcontratadas por aquela indústria.

Segundo a IGT, os visados são, na sua maioria, de nacionalidade sul-africana e malaia, tendo as duas empregadoras já sido notificadas para prestarem os esclarecimentos devidos sobre o assunto.

A Cervejas de Moçambique foi citada pela Rádio Moçambique a distanciar-se do caso da contratação ilegal daqueles estrangeiros, atribuído a uma firma especializada na matéria.

Jornal Notícias