Centenas de manifestantes juntaram-se nas ruas de Cartum, capital do Sudão, para pedir a dissolução do partido do ex-Presidente Omar al-Bashir, que esteve três décadas no poder.

O protesto foi organizado por grupos locais ligados à Associação de Profissionais sudanesa, principal componente das Forças da Liberdade e da Mudança (coligação de grupos civis e partidos que liderou a revolução sudanesa).

Em Cartum, os manifestantes também pediram às autoridades que intensificassem a investigação sobre as centenas de pessoas desaparecidas em 3 de Junho, quando as forças de segurança dispersaram um protesto junto à sede das Forças Armadas.

Segundo os manifestantes, pelo menos 128 pessoas foram mortas e centenas desapareceram. As autoridades admitem que 87 pessoas morreram, 17 das quais no local da manifestação.

Dura Gambo, ativista da Associação de Profissionais sudanesa, citada pela Associated Press, disse que os manifestantes querem saber o destino daqueles que desapareceram: “se estão vivos, onde estão? Se estão mortos, onde estão os seus corpos? É isso que queremos saber”.

Não há registo de qualquer incidente durante o protesto.

O ex-Presidente Omar al-Bashir foi afastado pelos militares em 11 de Abril, após quase quatro meses de protestos nas ruas.

Notícias ao Minuto