O Ferroviário de Maputo deixou Maputo com destino a Joanesburgo, onde de 22 a 26 de Outubro irá disputar o grupo E da fase de apuramento para a Liga Africana de Basquetebol, prova organizada conjuntamente pela FIBA e NBA.

Ocupar um dos dois primeiros lugares que dão acesso a elite 16 é um dos grandes objectivos dos campeões nacionais, que partem para esta fase preliminar com a mesma estrutura que, em Setembro, conquistou a Liga Moçambicana de Basquetebol Mozal.

Milagre “Mila” Macome conta, para o efeito, com os bases Pio “Lingras” Matos, Baggio Chimonzo e Orlando “Nando” Novela; os extremos Milton Caifaz, Hugo Martins, Ermelindo “Mindo” Novela, Stélio Rodrigues, Francisco “Chiquinho” Macarringue e o espanhol Alvaro Manso; os postes Custódio Muchate, Inélcio “Chirinho” Chire e Octávio “Maguila” Magoliço.

A integração de Alvaro Manso, MVP das duas últimas edições do campeonato nacional, constitui uma mais-valia para a equipa, porquanto é um jogador com enormes qualidades quer ao nível dos tiros exteriores como também curtos.

Manso já conhece, e bem, o grupo de trabalho pois este é o terceiro ano que reforça o Ferroviário de Maputo.

Para esta empreitada, Mila não poderá contar com o poste Edson Monjane, ele que contraiu matrimonio recentemente, e Dércio “Dado” Mula, que ira reforçar uma equipa maliana.

Os campeões nacionais terão como adversários o Jonzi Nuggets (África do Sul); Mercenaries (Zimbabwe); University Pacers (Zâmbia), Dolphins Basktebbal (Botswana) e Lions Club (Namíbia).

Alguns destes adversários já conhecidos do Ferroviário de Maputo, até porque defrontou ano passado durante as eliminatórias para a Afroleague, em Bulawaio, Zimbabwe.

Esta competição será disputada num sistema de todos contra todos em uma volta, sendo que os dois primeiros classificados passam para a elite 16 da Liga Africana de Basquetebol.

O sorteio da prova devera ser realizado esta segunda-feira, em Joanesburgo, África do Sul. “Vamos tentar de tudo para fazermos uma participação condigna. Participação condigna passa, efectivamente, por nos posicionarmos nos lugares cimeiros”, disse Milagre Macome, “coach” do Ferroviário de Maputo.

Para a direcção do clube, é um orgulho “sermos os primeiros a participar neste tipo de competição”. Agora, segundo Isidro Amade, responsável pelo departamento de basquetebol do Ferroviário de Maputo, os campeões nacionais “carregam nas costas uma grande responsabilidade”.

Foco em vitórias e uma qualificação para etapa seguinte da prova. Esta é a mensagem transmitida por Orlando “Nando” Novela e Custodio Muchate, no lançamento da participação dos campeões nacionais nas eliminatórias para a Liga Africana de Basquetebol.

“Com o nosso trabalho, empenho e dedicação e conjunto nós podemos superar todas aquelas que podem vir a ser as adversidades nesta prova”, disse Muchate.

O País