O Secretário-geral da Renamo André Magibire garantiu na quinta-feira (01) em Gorongosa que todas as forças residuais do seu partido, incluindo as lideradas pelo Major General Mariano Nhongo, serão incluídas no processo de Reintegração social.

Desde meados de Junho passado, um grupo de antigos guerrilheiros da Renamo, que nos últimos oito anos foram muito próximos ao antigo presidente deste partido, Afonso Dhlakama, iniciou uma rebelião contra a actual liderança da perdiz, alegando que estavam a ser marginalizados por não serem inclusos no processo de Desmilitarização, Desmobilização e Reintegração social, em detrimento de indivíduos que não mereciam beneficiar-se do acto, que arrancou na passada segunda-feira (29) na serra da Gorongosa.

O grupo em  referência chegou a ser considerado desertor pela própria Renamo. A mesma Renamo, através do seu SG, André Magibire, desdramatizou a queixa daqueles guerrilheiros e sem clarificar se havia possíveis contactos com o Major- general Nhongo, garantiu que todas as forças residuais do seu partido serão inclusas no processo.

André Magibire falava em Chitengo, minutos antes da assinatura do acordo definitivo de cessação de hostilidades, um acordo rubricado entre o Presidente da República, Filipe Nyusi e o líder da Renamo Ossufo Momade.

O País