A Guerra comercial entre Estados Unidos e China afecta os planos de negócios do Porto do Maputo. A empresa concessionária desta infra-estrutura portuária decidiu rever em baixa o volume de manuseamento de carga diversa este ano, de 21 milhões de toneladas para 19 milhões.

Em Outubro próximo, arrancam as obras de manutenção dos canais de acesso do Porto de Maputo, que passou a receber navios de até 65 mil toneladas, após a última dragagem nesta infra-estrutura portuária, cuja profundidade aumentou para mais de 14 metros.

Em paralelo, os cais 6, 7, 8 e 9, estão a beneficiar de trabalhos de manutenção, com vista a elevar a capacidade de manuseamento de carga.

Com o mercado chinês a representar 80% do total da carga manuseada no Porto de Maputo, com destaque para minérios, a guerra comercial entre esta potência asiática e os Estados Unidos ditou uma revisão em baixa dos negócios para este ano.

Contudo, apesar deste “braço-de-ferro” entre a China e os Estados Unidos, a concessionária do Porto de Maputo já prepara uma nova dragagem dos canais de acesso para até 16 metros.

O País