Dois anos após a morte de Meegan Hefford, 25 anos, em Mandurah, Austrália, a mãe, Michelle, decidiu desabafar e fazer um alerta a outros pais. Meegan foi encontrada desacordada em seu apartamento e levada imediatamente para o hospital. No centro de saúde, ela foi diagnosticada com desordem no ciclo da ureia.

Três dias depois, ela não resistiu às complicações. Segundo a autópsia, Meegan morreu após tomar muitos shakes de whey protein. Isso porque a jovem tinha uma condição rara que dificultava a quebra da proteína no corpo. “Não tínhamos ideia que a obsessão dela acabaria com sua própria vida”, diz a mãe ao jornal Daily Mirror.

“Apenas nutricionistas certificados deveriam prescrever essa dieta. Eu peço para que todos façam exames antes de tomarem esse suplemento”, pede Michelle. Segundo a mãe, ela não sabia que a filha estava tomando whey. “Só descobri quando encontrei vários deles na cozinha da casa dele”, contou.

Além do whey, Meegan fazia uma dieta a base de proteína. “Frango, carne vermelha e ovos. Sempre tinha um desses no prato. Logo depois, toma um shake de whey”, explicou. “Foi tarde demais para Megan, mas a história dela pode salvar outras vidas”, disse a mãe.

Metrópoles