Com objectivo de contribuir para a redefinição de políticas e estratégias de saúde sexual e reprodutiva, foi lançado ontem o Manual sobre Planeamento Familiar e Saúde Reprodutiva.

Trata-se de um livro que aborda questões sobre a dinâmica da saúde sexual reprodutiva em Moçambique, com destaque para o baixo uso de contraceptivos e o acesso irregular aos serviços de planeamento familiar, apontados como factores que contribuem para a elevada taxa de fecundidade

“O livro procura trazer aquilo que são as evidências actuais, procura trazer alguns constrangimentos que ainda imperam o acesso universal aos serviços de planeamento sexual”, disse Boaventura Cau do CEPSA.

E um dos desafios que o livro trás como subsídio é o envolvimento dos homens nas políticas de planeamento familiar.

Com mais de 200 páginas e 11 capítulos, o livro foi produzido pelo Centro de Pesquisa em População e Saúde em parceria com a Fundação MASC.

O País