Começou em polémica a nova temporada de Neymar. O avançado brasileiro não se apresentou ao trabalho no dia 8 de Julho, data estipulada pelo clube, e não justificou a ausência aos responsáveis parisienses.

Como forma de regular este tipo de comportamentos, o Paris Saint-Germain tem uma ‘cláusula ética’ em todos os contratos assinados pelos jogadores do clube. Ali é estipulado uma percentagem do salário que é retirada cada vez que o atleta não cumpra os regulamentos. O valor é atribuído directamente à fundação do clube, com o objectivo de apoiar causas solidárias.

No caso de Neymar, a ausência do início dos trabalhos custar-lhe-á cerca de 375 mil euros (o brasileiro recebe 34 milhões de euros por temporadas) e a não participação no encontro com o Dynamo de Dresden, naquele que será o primeiro jogo de pré-época do PSG.

A Bola