O Movimento Democrático de Moçambique exortou as autoridades moçambicanas e sul africanas, para esclarecerem com celeridade o caso de assassinato de dois moçambicanos na fronteira com a África do Sul, que considera um atentado à soberania nacional.

“Gostaríamos de solicitar às autoridades moçambicanas e sul-africanas a celeridade no esclarecimento deste acto macabro. Já são muitos casos de assassinato e sevícias e tratamentos desumanos contra moçambicanos, que acontecem nas fronteiras com a vizinha África de Sul e mesmo dentro do território daquele país. Pensamos que chegou a hora de haver justiça e responsabilização”. -Explicou Sande Carmona, porta-voz do MDM, que falava numa conferência de imprensa, convocada com o propósito de se pronunciar sobre os aludidos assassinatos.

Carmona acrescentou que a falta de esclarecimento dos casos anteriores de assassinatos de moçambicanos, protagonizado por sul-africanos, deixa transparecer uma lentidão e ineficiência dos órgãos de justiça  nacional.

“Esta situação deixa a nossa integridade, como país, vulnerável a ponto de milicianos de guarda-fronteira sul-africana entrarem no nosso território e assassinarem os  nossos oficiais. Não podemos admitir que as nossas autoridades voltem a minimizar este caso. O mesmo deve ser tratado com toda a sensibilidade para que o nosso país continue a ser tratado como um Estado”.

O País