Joaquim Chissano diz que a paz em Moçambique está longe de ser consolidada apesar dos avanços alcançados. A fraca participação e inclusão dos moçambicanos pode comprometer a sua construção. Chissano falava hoje em Maputo, durante o diálogo de alto nível sobre democracia e desenvolvimento económico no país.

Falando para uma plateia composta por figuras de vários extractos sociais desde nacionais e estrangeiros, o antigo presidente da república Joaquim Chissano, na qualidade de orador principal de um debate sobre governação democrática e desenvolvimento económico sustentável em Moçambique lembrou os desafios enfrentados para o alcance da paz no país, tendo em seguida referido que a paz, a democracia e desenvolvimento são elementos que não podem ser dissociados.

Chissano defendeu ainda que as políticas públicas são fundamentais para um melhor relacionamento entre o povo. Aliás, no seu entender, a paz vai além do calar das armas.

O evento tinha como principal objectivo promover discussões construtivas que permitam forjar perspectivas, a longo prazo para melhorar o desenvolvimento nacional.

O País