A Polícia da República de Moçambique (PRM) deteve dois funcionários da Direcção Provincial de Trabalho, Emprego e Segurança Social de Manica por suposta corrupção.

A detenção dos visados, ora na 1ª esquadra, aconteceu no último fim-de-semana após terem sido surpreendidos a receber 11 mil meticais das mãos do proprietário de um estabelecimento comercial da cidade de Chimoio.

Eles estão afectos ao Departamento de Inspecção na Direcção Provincial de Trabalho, Emprego e Segurança Social de Manica, de acordo com  Mário Arnança, chefe do Departamento de Relações Públicas no Comando Provincial da PRM.

Os dois indiciados “exigiram dinheiro ao proprietário do estabelecimento” em causa depois de terem proferido ameaças segundo caso não pagasse sofreria uma multa pesada.

Na circunstância, o agente económico simulou que ia buscar o valor exigido, enquanto contactava a Polícia, que não se fez de rogada de deteve os suspeitos.

“Estamos perante um acto de corrupção passiva, que é punível nos termos da lei”, disse Mário Arnança, para quem o auto do crime que pesa sobre os acusados já corre seus trâmites, devendo eles ser apresentados ao tribunal.

A fonte apelou à população para se manter vigilante e denunciar qualquer crime.

O País