Atentado contra Juiz de Cumba em Niassa deixa magistrados Judiciários apreensivos. O Presidente da Associação moçambicana dos Juízes, Carlos Mondlane, considera ser urgente aprovação de um instrumento que protege a classe.

A invasão à residência do juiz Presidente do Tribunal distrital de Cuamba, em Niassa, onde quatro homens armados dispararam 28 balas sem entretanto causar vítimas, está provocar revolta e indignação a classe dos Juízes.

De acordo com o Presidente da Associação moçambicana dos Juízes, desconhece-se até aqui as razões que motivaram este atentado.

Este acontecimento vem reforçar a luta dos juízes pela aprovação de um instrumento que protege a classe dos magistrados judiciários e do Ministério público.

Os juízes estão neste momento a prestar apoio à vitima e sua família.

O País