Os tumultos registados num dos bairros suburbanos da cidade de Nampula tiveram como origem a disputa de uma igreja por parte de duas famílias, uma delas chefiada por um cidadão de nacionalidade congolesa, residente em Moçambique há muitos anos.

A população vandalizou a casa do cidadão estrangeiro, alegando que o mesmo mantinha em cárcere privado crianças com a finalidade de trafico de órgãos. A polícia foi obrigada a intervir e deteve 18 pessoas.

Neste momento, a vítima encontra-se numa casa disponibilizada pela Saúde porque se trata de um médico congolês, inscrito na Ordem dos Médicos de Moçambique.

Refira-se que o médico em causa é funcionário do hospital central de Nampula.

O País