Moçambique necessita de USD 3.2 biliões para o processo de reconstrução das zonas afectadas pelos ciclones Idai e Kenneth, que recentemente afectou parte das regiões centro e norte do país.

O valor consta do relatório final do levantamento realizado por uma entidade que integrou equipas multissetoriais do governo e de alguns parceiros, com destaque para a União Europeia.

Segundo a porta-voz do Conselho de Ministros, Ana Comuana, o valor visa financiar a reconstrução de sectores sociais, produtivos e outros essenciais que foram afectados pelas calamidades.
Segundo Ana Comoana, o valor será submetido à apreciação dos doadores, durante a conferência que terá lugar dentro de semana e meia na cidade da Beira.

“O relatório será a base da conferência de doadores, através da qual queremos mobilizar os recursos necessários para a reconstrução. Se conseguirmos o valor na totalidade, será óptimo, caso contrário, teremos que fazer esforços internos para viabilizar o projecto” disse Comoana, no briefing semanal do Conselho de Ministros.

Neste momento o governo considera que a situação em todo o país está estacionária e por isso, aprovou um decreto que desactiva o alerta vermelho na região norte e o levantamento da emergência nacional que vigorou a seguir aos ciclones Idai e Kenneth.

O País