A polícia está no encalço do terceiro integrante desta quadrilha de malfeitores e os já detidos, confessaram ter raptado e estrangulado a menor e escondido o seu corpo num buraco, onde posteriormente iriam recolher os ossos para os entregar ao mandante.

A Polícia da República de Moçambique (PRM), em Nampula, está no encalço de um terceiro membro de uma quadrilha de três indivíduos que, no passado dia 2 de Maio, raptou e assassinou uma menor, com problemas de pigmentação no distrito de Murrupula.

O crime aconteceu durante a madrugada, numa área residencial daquele distrito, cuja vila sede dista 72 quilómetros da cidade capital provincial, Nampula, quando os criminosos introduziram-se na residência dos avós da malograda.

Segundo o porta-voz da Polícia em Nampula, Zacarias Nacúti, os dois dos integrantes deste trio foram neutralizados e estão detidos na cidade de Nampula, onde o caso corre os seus trâmites legais.

“ A polícia está no encalço deste terceiro integrante desta quadrilha de malfeitores e os já detidos confessaram ter raptado e estrangulado a menor e escondido o seu corpo num buraco, onde posteriormente iriam recolher os ossos para os entregar ao mandante e comprador com residência no Malawi”, disse Nacúti esta segunda-feira, no habitual briefing à imprensa.

Explicou que a quadrilha é reincidente nestas práticas, pois está igualmente indiciada de ter profanado a sepultura de uma outra pessoa, também albina, em Murrupula, factos que a polícia agora conseguiu confirmar.

“Mas este ano, este é o segundo caso dessa natureza que registamos aqui em Nampula e, em ambos, os indiciados referem sempre que praticaram esses actos lamentáveis a mando de estrangeiros, ou malawianos ou tanzanianos. O apelo da Polícia é que os cidadãos se abstenham destes actos criminosos sob o risco de ficarem a contas com a Justiça”.

Folha de Maputo