Pelo menos 15 pessoas, a maioria civis, foram mortas na sequência de uma explosão na cidade de Jisr ash-Shugur, província de Idlib, no noroeste da Síria, anunciou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Segundo esta organização não-governamental (ONG), a origem da explosão, que ocorreu perto de um mercado, ainda não foi estabelecida.

Treze civis estão entre as vítimas desta explosão, incluindo a filha de um combatente estrangeiro, indicou Rami Abdel Rahman, director do OSDH.

“Ainda não está claro nesta fase se é um carro armadilhado ou um carro que transportava explosivos que está na origem da explosão”, explicou a mesma fonte.

O Partido Islâmico do Turquestão, uma formação de ‘jihadistas’ estrangeiros da minoria muçulmana dos uigures, tem uma grande presença em Jisr al-Shoughur, enquanto o grupo Estado Islâmico tem células inactivas na região Idlib.

Idlib é controlada por grupos rebeldes e islamistas, entre os quais a Frente de Libertação do Levante (ex-filial síria da Al-Qaida), e, para deter uma ofensiva das forças governamentais à região, foi criada, em Outubro passado, a zona desmilitarizada, graças a um acordo entre a Turquia (defensora da oposição) e a Rússia (principal aliado do Governo).

Desencadeado em Março de 2011 pela violenta repressão pelo regime do Presidente sírio, Bashar al-Assad, de manifestações pacíficas, o conflito na Síria ganhou ao longo dos anos uma enorme complexidade, com o envolvimento de países estrangeiros e de grupos ‘jihadistas’, e várias frentes de combate.

Num território bastante fragmentado, o conflito civil na Síria provocou, desde 2011, mais de 370 mil mortos, incluindo mais de 100 mil civis, e milhões de deslocados e refugiados.

Notícias ao Minuto