Primeiro teste dos Mambas antes do “jogo do ano” com a Guiné-Bissau a 23 de Março. Novidade no onze inicial com a entrada do estreante Jorge, lateral esquerdo do Costa do Sol.

Mais do que o resultado, interessava a Abel Xavier, seleccionador nacional, avaliar alguns processos de jogo que tem estado a ensaiar desde o arranque do estágio pré-competitivo no Centro de Alto Rendimento de Pretória.

Um centro da direita e um mau desvio de Isac logo cedinho deu indicações de que havia que pautar por um pendor ofensivo, até porque golos serão precisos em Bissau para regressarmos ao CAM nove anos depois.

eSwatini, já fora da corrida ao CAN 2019, criava imensas dificuldades aos Mambas no processo de organização do seu jogo.

Nas alas, Miquissone e Telinho tinham a missão de criar desequilíbrios. Na frente de ataque, Isac e Maninho sentiam dificuldades para encontrar espaços.

Os Mambas perdiam muitas bolas no meio do terreno. E, no ataque, revelavam total desacerto com a baliza. Maninho, foi a expressão de falta de pontaria aos 32 minutos. Não marcaram os Mambas por falta de competência, os suazis, esses não perdoaram. Aos 34 minutos Manucho fez-se mal a um lance, Banele agradeceu e bateu Leonel

Os Mambas ainda tentaram esboçar uma reacção face a desvantagem, sem, no entanto, criarem situações claras de golo. Veio o intervalo… e com ele uma nova atitude dos Mamas.

Pressionada, a equipa de Abel Xavier instalou-se no campo do seu adversário. Forçando, naturalmente, a baixar as linhas.

Faltava, no entanto, o último detalhe Abel Xavier mexeu na equipa. Lançou Nelson para o lugar de Telinho, Maninho cedeu o seu lugar a Dayo. Nene esteve perto de marcar num remate que obrigou o guarda-redes de eSwatini a uma defesa apertada.

Como era de prever, o seleccionador nacional continuou a testar as outras unidades presentes no estágio.

Saíram Leonel, Mambucho e Nene, entraram Guirrugo, Chico e Kambala. Miquissone trabalhou muitíssimo bem na direita, centrou para o coração da área onde apareceu Nelson a fazer o mais difícil: errar no alvo até que Dayo, na meia lua, atirou a contar e quase que pagava caro porque Victor, guarda-redes que foi lançado para o lugar de Guirrugo, viu a bola passar a escassos centímetros do poste direito da sua baliza.

A resposta veio num golpe de cabeça de Chico, Abel Xavier ainda fez entrar Nilton do Costa do Sol para o lugar de Crimildo. Os Mambas continuaram a ter domínio do jogo, mas eSwatine revela-se perigosa sempre que descia ao ataque.

O seleccionador tinha que experimentar outras opções e foi assim que fez entrar, primeiro, Guirrugo e depois Victor.

A baliza manteve-se inviolável, pena é que no ataque não houve descernimento e o jogo acabou empatado.

Os Mambas poderão voltar a jogar no dia 17 de Março no mesmo local.

O País