Inês Moiane está a ser ouvida na Procuradoria-geral da República, onde chegou às 09H15, numa viatura de transporte de reclusos do Serviço Nacional Penitenciário.

Sem a habitual escolta e sirene, a viatura foi directo à garagem do edifício sede da Procuradoria-Geral, na avenida Vladimir Lenine. Dez minutos depois, chegava Alexandre Chivale, o advogado que defende Inês Moiane no processo das dívidas ocultas.

Detida na Cadeia Civil de Maputo, no centro da capital, Inês Moiane faz parte dos oito arguidos mantidos em prisão preventiva por decisão do Tribunal Judicial da Cidade de Maputo. A data dos factos que lhe são imputados pelo Ministério Público, Moiane era secretária particular do antigo Presidente da República, Armando Guebuza.

A secretária-particular do antigo Presidente da República, Armando Guebuza estará presente hoje na Procuradoria-Geral da República para uma audição no âmbito das investigações às dívidas ocultas.

Moaine, uma dos oito arguidos presas preventivamente no quadro do processo 1/PGR/2015 é apontada como uma das pessoas que terá facilitado a entrega do dossier de contratação das dívidas ocultas a Armando Guebuza, então Chefe do Estado.

Fonte próxima ao processo informou ao Jornal O País que a audição começa às 9 horas. Inês Moiane está em prisão preventiva na Cadeia Civil de Maputo, onde estão igualmente Gregório Leão, antigo director geral do SISE e António do Rosário, PCA da ProÍndicus EMATUM e MAM.

O País