A lixeira de Hulene vai ser usada por mais 10 ou 15 anos sem causar danos a saúde pública e ao ambiente, graças a uma tecnologia Japonesa denominada “Método de Fukuoka”.

Esta Tecnologia consistirá na transformação da Lixeira de Hulene num Aterro semi-aeróbico, através da fermentação nas camadas internas de resíduos no aterro, bem como a entrada natural de ar através de canais de ventilação de gás e de colecta de líquidos derivados do lixo.

Esta tecnologia de construção e melhoramento de aterros sanitários já é utilizada em África em países como Quénia, Etiópia e Sudão.

O “Método de Fukuoka” será introduzido no país graças a um acordo de Cooperação no domínio da gestão de resíduos sólidos urbanos, assinado entre Moçambique e Japão.

Essencialmente, o acordo tem enfoque no reforço da assistência técnica, formação e transferência de tecnologias na área de gestão de resíduos sólidos urbanos como forma de fazer face aos desafios actuais de gestão de resíduos sólidos no País.

A assinatura do Acordo acontece no âmbito da visita do Ministro da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural, Celso Ismael Correia, ao Japão, que decorre de 25 a 27 de Fevereiro corrente.

O País