Noventa professores morreram desde o início do corrente ano, vítimas de HIV/SIDA na província de Tete, revelam dados divulgados ontem pelo secretário provincial da Organização Nacional de Professores (ONP), Rebelo Arnaldo.

A fonte, que não foi capaz de fornecer dados do ano passado, para efeitos comparativos, considera a situação preocupante.

O anúncio foi feito durante a audiência concedida pelo governador de Tete, Paulo Auade, a um grupo de membros da ONP, que o foi saudar por ocasião da passagem do 37º aniversário da criação daquela agremiação.

“A situação da perda de vida dos professores preocupa o governo, porque muitas crianças ficam sem quem possa leccionar as aulas. Por isso, o nosso apelo é no sentido de todos prevenirem-se do HIV/SIDA. É preciso que as mensagens sejam cada vez mais difundidas no seio da classe de professores”, apelou o governador, segundo a AIM.

Anotou que as mortes são prejudiciais em todas a vertentes, pois as famílias ficam enlutadas, o Estado perde um homem formado e as turmas ficam sem professores, o que implica a sobrecarga dos seus colegas, situação que afecta o processo de ensino e aprendizagem, resultando no baixo aproveitamento pedagógico.

Referiu que o professor é o espelho da sociedade, razão pela qual tem o dever de mostrar boas práticas de vida, prevenindo-se do HIV/SIDA e outras doenças.

“Além disso, devem seguir o tratamento anti-retroviral (TARV), porque este medicamento, embora não cure a doença, prolonga a vida. Portanto, é preocupante a situação, porque o professor é quem deve transmitir a mensagem sobre a prevenção do HIV e Sida”, disse.

“Mas apesar desta situação, saudamos os esforços que os professores envidam na transmissão de conhecimentos científicos. Por isso, queremos agradecer e desejar-lhes festas felizes pela data”, acrescentou.

O secretário da ONP em Tete revelou que mais de oito mil professores vão beneficiar ainda este ano de progressões, promoções e mudanças de carreira, no âmbito dos esforços que o Governo faz para o bem-estar dos funcionários e agentes do Estado.

Segundo a fonte, a organização já efectuou o levantamento em todos os 15 distritos da província de Tete dos professores a serem abrangidos pelos actos administrativos.

“A abrangência deste número demonstra o comprometimento do governo para a melhoria das condições de vida dos professores, daí que apelamos para que os colegas distanciem-se de actos nocivos, como a corrupção”, afirmou.

Recomendou aos professores a pautar pelas boas práticas na sociedade, evitando actos de corrupção, como assédio sexual de alunas.

Portanto, temos que ter comportamentos aceitáveis, porque o professor deve dignificar a classe”, disse Ribeiro, em declarações à imprensa, no término da audiência concedida pelo governador.

Jornal Notícias