O Presidente do Quénia, Uhuru Kenyatta, que governa desde 2013 e foi reeleito no ano passado num escrutínio muito contestado, anunciou hoje que não se recandidata a um terceiro mandato, numa entrevista à cadeia de televisão norte-americana CNN.

Não estou interessado num terceiro mandato”, disse o chefe de Estado, segundo excertos da entrevista citados pela imprensa local.

“As pessoas já estão a falar de alterações à Constituição, que não serão necessárias porque dependeriam de uma decisão do Presidente de concorrer a um terceiro mandato”, alegou Kenyatta, sobre as dúvidas em relação à possível realização de um referendo constitucional para acabar com a proibição de mais de dois mandatos consecutivos na presidência.

O líder da oposição, Raila Odinga, voltou a reivindicar a criação do cargo de primeiro-ministro que permita repartir os poderes, que, considerou, estão muito concentrados no chefe de Estado.

Tanta a eleição de Kenyatta, em 2013, como a sua reeleição, em 2017, foram marcadas por denúncias de corrupção e os resultados foram contestados na justiça.

Nas últimas eleições o país viveu momentos de tensão e confrontos, que provocaram uma centena de mortos nos protestos que se realizaram antes de depois do escrutínio. A primeira votação, realizada a 08 de Agosto de 2017, foi impugnada pelo Supremo Tribunal.

A repetição da votação, a 26 de Outubro, confirmou a vitória de Kenyatta.

O Governo e a oposição anunciaram em Março deste ano um acordo para acabar com a crise política e Odinga coopera com o executivo e exerce inclusivamente funções de Estado em assuntos internacionais, como a mediação do conflito político no Sudão do Sul.

Notícias ao Minuto