Ex-administradora do distrito de Balama, em Cabo Delgado, Eusébia Maria Celestino vai responder em tribunal por prática de vários crimes, entre os quais a corrupção.

Segundo confirmou a Procuradoria provincial, através de um comunicado de imprensa enviado ao O País, na sequência dos autos registados sob o n°88 /02/P/2018, foi deduzida acusação pública contra a ré, por na fase da instrução preparatória, terem sido colhidos fortes indícios de ter desviado cerca de 5 milhões de meticais dos cofres do Estado.

Peculato, desvio de aplicação, recebimento ilegal de emolumentos, pagamento de remunerações indevidas, uso de documento falso e abuso de cargo ou funções, são os seis crimes que pesam sobre a Ex-administradora, que aguarda o julgamento em liberdade.

Para além da ex-administradora, constam da acusação os cidadãos: Afonso Bacar, Secretário Permanente Distrital; Domingos Augusto Jeremias Pedro Hamito, à data dos factos era chefe da Repartição da Função Pública e Poder Local da Secretaria Distrital; Magido Uraibo, à data dos factos era Chefe da Administração e Finanças da Secretaria Distrital; Acácio Simão Munguambe, Director dos Serviços Distritais de Planeamento e Infra-estruturas de Balama e Suzana Maria Melcano Mataria, à data dos factos contabilista, segundo o documento acima citado.

Não obstante a acusação que recai sobre os arguidos, os mesmos ainda gozam de presunção de inocência até decisão judicial definitiva, nos termos do disposto no artigo 59, n° 2 da CRM.

O caso, de acordo com a Procuradoria Provincial, já foi remetido ao Tribunal Judicial de Cabo Delgado, onde outros processos de corrupção na função pública aguardam pelo julgamento.

O País