Autoridades moçambicanas encerraram uma agência clandestina que recrutou, até ao momento, 12 jovens para trabalhar na Nigéria.

A agência, denominada RSM, “não possui nenhuma licença para operar no país como empresa e menos ainda como agência recrutadora e de colocação de mão-de-obra no estrangeiro”, diz um comunicado da Inspecção-Geral do Trabalho de Moçambique divulgado nesta quarta-feira, 15.

Os jovens tinham passagem marcada para seguir viagem para a Nigéria no próximo dia 27.

A nota informa que a Inspecção-Geral do Trabalho fechou a empresa e suspendeu uma cidadã portuguesa que trabalha como consultora na empresa.

Os jovens recrutados tinham recebido formação, embora a empresa não tivesse autorização para tal.

A Inspecção-Geral do Trabalho não informa a natureza da empresa e do trabalho que, supostamente, os jovens iriam realizar na Nigéria.

VOA