A delegação do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) da cidade de Maputo acusa seus militantes que se juntaram à Renamo, na sexta-feira, de tentarem desestabilizar o partido.

A acusação foi feita este sábado, durante a cerimónia de empossamento dos membros que vão substituir os que MDM chama de desertores. Ao todo, são cinco lugares que haviam sido deixados vagos pelos membros que abandonaram MDM e se juntaram a Renamo na sexta-feira.

Trata-se de quatro delegados distritais e o chefe da bancada na Assembleia Municipal da cidade de Maputo, cujas vagas que deixaram foram ocupadas pelos novos membros empossados ontem.

Falando na ocasião, o porta-voz do encontro e chefe do Departamento de governação local do MDM, Elias Gilberto, disse que o empossamento traz uma restruturação do partido contra tentativas de sabotagem feitas pelos militantes que abandonaram seus cargos para se juntar à Renamo.

Por sua vez, os empossados dizem que o desafio é redobrar esforços para a conquista do eleitorado na cidade de Maputo tendo em conta as eleições autárquicas marcadas para o dia 10 de Outubro próximo.

“Do novo Chefe da Bancada e do MDM na cidade de Maputo pode se esperar o melhor. O que aconteceu foi apenas uma restruturação na sequência da deserção dos novos colegas. Assim, nós vamos continuar a trabalhar para que o partido seja visto como alternativa forte para governação”, disse Augusto Vicente Mbazo, empossado como novo Chefe da Bancada do MDM na Assembleia Municipal da cidade de Maputo.

Folha de Maputo