Uma mulher de 34 anos de idade sobreviveu com ferimentos graves após ser baleada pelo seu próprio marido, de 43 anos, semana passada, na cidade de Maputo, durante uma contenda passional.

Sem avançar pormenores sobre o facto, Inácio Dina, porta-voz do Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM), disse que o indiciado, ora a ver o sol aos quadradinhos, atentou contra a vida da sua esposa com recurso a uma pistola que foi apreendida. A vítima foi socorrida para uma unidade sanitária.

Ao longo da semana finda, a corporação recuperou sete armas de fogo, sendo uma AK-47, três do tipo pistola, duas outras pistolas também, mas de pressão de ar, e uma caçadeira, bem como 35 munições de diversos calibres, na cidade de Maputo e nas províncias de Manica e Tete.

De acordo com o agente da lei e ordem, outros dois indivíduos foram recolhidos aos calabouços após serem encontrados a tentar protagonizar um assalto com recurso a uma pistola de pressão de ar.

Eles alegaram que adquiram o instrumento bélico na vizinha África do Sul, porém, não tinham licença de uso.

Quatro cidadãos com idades de variam de 24 a 27 anos estão igualmente detidos, acusados perpetrar assaltos à mão armada. Em sua posse a Polícia recuperou duas armas de fogo, das quais uma AK-47 e outra do tipo pistola.

Um número de cidadãos igual ao que acima nos referimos foi recolhido às celas, incriminados também de posse ilegal de uma pistola com três munições. Inácio Dina disse que o instrumento bélico em questão era transportado numa viatura e os indiciados não puderam esclarecer por que motivo andam armados sem licença para o efeito.

A caçadeira foi apreendida em Tete e detido um cidadão suspeito de prática de caça furtiva.

@Verdade

COMENTE PELO FACEBOOK