Pelo menos cinco pessoas deram entrada no Hospital Central de Maputo, vítimas de acidentes causados pelo uso incorrecto de objectos pirotécnicos.

As cinco vítimas, entre as quais uma criança de 10 anos, tiveram ferimentos graves nos membros inferiores, cabeça e abdómen.

Falando à nossa Reportagem após receber tratamentos no banco de socorros, Ailton Nola, de 10 anos de idade, contou que nunca manuseou aquele objecto e que durante a passagem do ano um vizinho seu atirou-lhe “paixão” que explodiu sobre ele, ferindo-lhe as duas mãos e a face.

Já Aurélio Macuácua, de 46 anos de idade, residente no bairro dos Pescadores, ficou gravemente ferido na mão direita e perdeu quatro dedos. A fonte disse ter manuseado mal o objecto pirotécnico, permanecendo com ele mais tempo do que o recomendado depois de atear o fogo e acabando por explodir nas suas mãos.

“É a primeira vez que isso acontece comigo. Sempre comprei ‘paixões’ quando chega esta época do ano, mas Deus não estava comigo”, lamentou.

 Assim como Aurélio e o menino Ailton, as outras três vítimas tiveram ferimentos nos braços e duas continuam internadas no HCM por apresentar lesões complicadas que podem levar à amputação de membros inferiores afectados.

Filipe Coimbra, porta-voz do HCM, classificou a festa de Réveillon de tranquila em comparação com igual período do ano transacto, apesar de ter atendido 34 casos de acidentes de viação, contra 31 de 2017.

Ainda durante o período em referência, deram entrada naquele hospital 301 pacientes, contra os 314 de 2017. Não houve registos de casos de agressão física, segundo avançou a nossa fonte.

Diário de Moçambique