Sete pessoas contraíram ferimentos, das quais duas com gravidade, na sequência do acidente de viação ocorrido na manhã de sexta-feira (04), na Estrada Nacional número 4, EN4, nas proximidades da portagem de Maputo.

O sinistro registou-se por volta das 7.30 horas, numa altura em que a via tinha maior fluxo de viaturas que se deslocavam à cidade de Maputo, tendo provocado danos em mais de cinco automóveis e a paralisação do tráfego rodoviário neste troço, para além de aglomeração de carros que formaram filas até por volta das 10.40 horas, quando foi possível desbloquear a via.

O caso envolveu um camião de marca Freightliner, com a chapa de matrícula MMP36-47, que na altura transportava um contentor do Porto do Maputo com destino ao município da Matola. O motorista, de 53 anos de idade, saiu ileso e responde pelo nome de A. M. Lopes, segundo disseram fontes Policiais.

Para além dos feridos, a nossa Reportagem apurou no local que mais de cinco viaturas ficaram danificadas no acidente, incluindo o camião que também ficou sem a cabina do tripulante.

Segundo Firmino Inguane, director das Operações e Portagens da Trac, concessionária da via, durante a marcha, o condutor do camião teve alguma necessidade de travagem brusca, e pela inércia, o contentor foi projectado contra a cabina, arrancando-a da carroçaria, acabando por tombar no piso e bloqueando desta forma o tráfego rodoviário, por mais de três horas.

Firmino disse que os feridos foram socorridos e transportados para o Hospital Geral José Macamo, para cuidados médicos, não se sabendo do paradeiro do motorista.

O dirigente da Trac, acrescentou que no período entre as 6 e 8 horas, geralmente a circulação é reservada para viaturas ligeiras e autocarros de transporte de passageiros, devido ao volume de carros que circula na EN4. Mas, como os operadores de transportes não querem perder os seus compromissos, às vezes utilizam a rodovia e hoje acabou provocando este acidente, com consequências incalculáveis, para além do congestionamento e atrasos para os trabalhadores que se deslocavam aos seus postos de trabalho, para além de feridos e danos nas viaturas, explicou a fonte.

Neste contexto, a Trac apela aos utilizadores da via a respeitar o período matinal para a circulação de viaturas ligeiras, e utilizarem as restantes 22 horas do dia. No seu entender, é mais fácil socorrer viaturas ligeiras do que camiões de grande tonelagem que acabam bloqueando toda a via, devido às suas dimensões e peso que requerem gruas de grande porte.

Devido à gravidade do sinistro, equipas da Trac, Bombeiros, Administração Nacional de Estradas e da Polícia da República de Moçambique estiveram no local a trabalhar no sentido de auxiliar o trânsito, bem como na remoção dos feridos e das cinco viaturas danificadas no local.

Dados fornecidos pela Polícia, na cidade de Maputo, indicam que o sinistro foi causado por excesso de velocidade aliado ao pavimento escorregadio pois, na manhã de hoje, a capital do país registou queda de chuvas.

Jornal Notícias