Um cidadão português, de 53 anos de idade, foi detido na posse de 5.700 dólares norte-americanos falsos, junto à fronteira de Machipanda, entre Moçambique e Zimbabwe, mas depois foi restituído à liberdade, o que deixou as autoridades policiais descontentes.

O visado, preso na passada quarta-feira (15), no distrito de Machipanda, província de Manica, trazia o dinheiro em causa numa bolsa e em notas de 100 dólares cada.

Inácio Dina, porta-voz do Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM), disse que cidadão, natural de Guimarães, entrou em Moçambique ido do Zimbabwe.

No país, estar a posse de dinheiro falso é crime, “mas estranhamente o cidadão português foi restituído à liberdade mediante termo de identidade e residência”, começou por explicar o agente da Lei e Ordem.

Num outro desenvolvimento, Inácio Dina disse que durante as averiguações havia indicações de que o indiciado tem uma residência na cidade da Beira, onde vive há anos.

Contudo, a sua detenção deu-se num território que não é de residência habitual, o que impunha que ele continuasse enclausurado.

O nosso desejo é que haja a devida responsabilização e o devido rastreio para podermos desfazer o possível circuito de circulação de notas falas de modo que este tipo de crime não ocorra”, finalizou Dina.

@Verdade