Segundo fontes da INAE, o voo TM 1108, que era suposto partir de Nampula, às 19h35 horas, só viria a deixar a mesma, mais de meia hora depois.

Segundo soube o Mediafax, a casa de banho que atrasou a partida do voo, apresentava sérios problemas de escoamento de fluidos líquidos e sólidos.

Maria Rita Freitas, inspectora-geral da INAE, que também viajava no mesmo voo, foi informada por um passageiro sobre a situação da referida casa de banho, tendo, de imediato, interpelado a tripulação de bordo no sentido de encerrar a casa de banho em causa, por não estar em condições de ser usada pelos passageiros.

AIM