Dois indivíduos identificados pelos nomes de Arlindo Muhate, de 27 anos de idade, e Nivaldo Moisés, de 28 anos, encontram-se detidos, no distrito de Chókwè, província de Gaza, acusados de tentativa de roubo de uma arma de fogo tipo AK-47 nas mãos de um agente da Polícia da República de Moçambique (PRM).

O caso teve lugar por volta das 23h00 de 26 de Janeiro passado, quando os indiciados simularam uma queixa alegando que acabavam de sofrer uma agressão algures e que os supostos ofensores ainda se encontravam no local do facto e propuseram que os agentes da Lei e Ordem fossem buscá-los.

Sem desconfiar que se tratava de uma trapaça, o oficial em serviço confiou a sua colega para se deslocar ao sítio da ocorrência com os dois queixosos, ambos residentes na cidade de Maputo, segundo a corporação.

Contudo, ao longo do percurso, eles agrediram a agente, tentando retirar-lhe a arma de fogo, o que não foi possível graças à pronta reacção da própria agente. Esta, sozinha conseguiu neutralizar os supostos bandidos e detê-los.

Já nas celas, os indiciados “confessaram que pretendiam arrancar a arma da agente para usá-la nas suas incursões criminais”, pelo que “vão responder em juízo”.

A policial “heroína” responde pelo nome de Constância Guilherme Congolo, afecta ao Posto da Polícia dos Transportes e Comunicações em Chókwè.

@Verdade