Pouco mais de 3750 quilogramas de produtos diversos foram recolhidos no Maputo Shopping Centre, por estarem em condições inadequadas ao consumo humano.

Trata-se concretamente de bolachas, flocos, arroz, farinha, bacalhau, leite e respectivos derivados como iogurtes, queijo e manteiga, produtos considerados pela Inspecção Nacional das Actividades Económicas (INAE) como estando “avariados”, ou seja fora do prazo, sem rótulos de validade, deteriorados e/ou em mau estado de conservação.

Virgínia Muianga, porta-voz da INAE, disse que brigadas da instituição estão a trabalhar em todo o centro comercial, que tem quatro andares, e devem terminar as verificações hoje.

Acrescentou que os produtos já detectados foram incinerados ontem, mas a inspecção continua, podendo vir a recolher-se mais itens, cuja comercialização e consumo pode pôr em risco a saúde pública.

Fora os produtos inadequados ao consumo, os técnicos da INAE constataram que, no geral, as diversas lojas daquele que é um dos maiores centros comerciais da capital atropelam a lei no que tange à fixação de preços.

As brigadas estão também atentas a questões de higiene e legalidade dos operadores, pelo que se exige alvarás e cartões de importadores aos que trazem artigos de fora do país, segundo a explicação de Virgínia Muianga.

É expectativa da INAE que, doravante, as lojas do centro comercial mudem de postura quanto aos aspectos incorrectos que estão a ser detectados e que mesmo os estabelecimentos como salões de beleza indiquem os preços dos seus serviços de forma bem visível.

O Maputo Shopping Centre é composto por restaurantes, bares, cafés, mercearia, lavandaria, lojas de roupa e de electrodomésticos, livraria, farmácia, cinema, ginásios, “car-wash”, entre outros.

Questionada sobre as implicações legais das violações detectadas, a fonte disse ser prematuro avançar qualquer medida, uma vez que o trabalho está ainda em curso e que alguns casos terão que ser devidamente analisados antes de se emitir qualquer juízo.

De salientar que os proprietários do centro comercial prometeram contactar o nosso Jornal na sequência da notícia da venda de bolachas infestadas por insectos no Hiper Maputo, a principal mercearia do espaço.

Jornal Notícias