Um número calculado em sete mil produtores agrícolas, da região centro do país, estão envolvidos no processo de multiplicação da semente, de feijão preto, através de assistência técnica do Instituto de Investigação Agrária, centro regional centro.

Trata-se de agricultores, dos distritos de Sussundenga, Manica, Vanduzi e Bàrué, na província de Manica, Tsangano, Angónia e Macanga, em Tete e Gurué na província da Zambézia, que através de sementes básicas, fornecidas pelo IIAM, produzem certificadas para a posterior fornecerem a produtores, vocacionados na comercialização da produção agrícola.

De acordo com Carlos Quembo, Delegado regional centro, do Instituto de Investigação Agrária, pretende-se com o projecto, disseminar a variedade do feijão preto, nutritivo e resistente a época de seca.

David Benjamim Maconha, um dos produtores envolvidos na multiplicação da semente do feijão preto, no povoado de Chirodzo, localidade de Bandula, posto Administrativo de Messica em Manica, disse que é rentável produzir a variedade o que ira sempre fazer para mais épocas agrícola deste produto nutritivo.

Já Magalhães Miguel, coordenador de fortalecimento de sementes de leguminosa e de grau, no IIAM, centro zonal centro, afirma que para além de rentável, o feijão preto tem alto valor nutritivo, dai que se aconselha a produção da variedade.

Recorde-se que, o projecto de multiplicação de feijão preto, com o seu término no presente ano, teve o seu inicio em 2013 e vai custar aos cofres do Estado, cerca de duzentos mil dólares norte Americanos.

Abrahamo Cufa