Uma quadrilha de assaltantes considerada perigosa está a contas com a Polícia da República de Moçambique (PRM), acusada de semear terror na cidade de Maputo.

Um segundo grupo está igualmente privado de liberdade sob a acusação a protagonizar roubos de telefones na via pública e venda e consumo de estupefacientes.

Um dos integrantes do bando de supostos assaltantes, detidos na 1ª esquadra na capital moçambicana, é considerado cabecilha e reside no bairro de Chamanculo.

Na 14ª Esquadra, outros dois cidadãos vêm o sol aos quadradinhos alegadamente por roubo de telefones na via pública e ameaça das suas vítimas.

Ainda em Maputo, a PRM encarcerou sete indivíduos acusados de comercialização e venda de drogas. Orlando Modumane, porta-voz da corporação, disse que dos estupefacientes apreendidos, em quantidades significativas, constam efedrina, haxixe, cocaína e soruma, para além de 1.350 considerados produtos deste negócio ilegal.

@Verdade