Trata-se de um troço da avenida Julius Nyerere, que parte da Praça dos Combatentes até a Praça do Destacamento Feminino num percurso de menos de 10 quilómetros, que ficou destruído pelas cheias do ano 2000 e cujas obras de reabilitação iniciaram em 2012.

Para o efeito, o CMCM lançou um concurso público para as obras de reabilitação, orçadas em 12,5 milhões de dólares, uma parte dos quais foi desembolsado pelo Banco Mundial.

O troço encontrava-se em reabilitação desde ano passado. Depois do chumbo da Britalar entrou a Gabriel Couto que conseguiu reabilitar a estrada.

Folha de Maputo