Tensão político-militar continua a influenciar negativamente o sector da hotelaria e turismo, em Inhambane.

Alguns estabelecimentos hoteleiros de Inhambane estão a fechar as portas devido ao fraco movimento de turistas. A atenção político-militar é apontada como uma das causas do fraco movimento que caracteriza, nos últimos meses, as estâncias turísticas na província.

Segundo o chefe da repartição de licenciamento e fiscalização de actividades económicas, Ilídio Uamsse, os operadores turísticos, dizem não estar a facturar quase nada, o que torna difícil assegurar os salários dos trabalhadores e o pagamento de outras despesas.

Uamusse apontou três estâncias do distrito de Massinga que acabam de encerrar as suas portas.

RM