Alegadamente por não suportar traição da mulher, empresário identificado apenas por Ascali, que operava no distrito de Meconta, na província de Nampula, decidiu  com recurso a produtos tóxicos tirar sua própria vida.

De acordo com testemunhas, o casal vivia em união de factos já algum tempo, mas nos últimos tempos, discussões entre o casal eram frequentes. Desta última vez por exemplo, não se sabe o que é que o malogrado descobriu relativamente à traição de sua esposa, mas consta que ela efectuava viagens constantes para lugares como Pemba, Nacala-Porto e Ilha de Moçambique, sem o consentimento do marido, e isso pode ter conduzindo a uma forte discussão de pelo menos duas horas, e que levou o malogrado a tirar sua própria vida com recurso a produtos químicos e tóxicos.

De acordo com chefe das operações da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Namialo, Amisse Agostinho, presume-se, que a senhora fazia-se acompanhar por seus amantes nas viagens facto que desagradava o marido.

O finado era gerente dos Armazéns Namialo (ARMANAM), em Namialo, a autópsia concluiu que a sua morte foi por intoxicação.

Este não é o primeiro caso de suicídio motivado por razões passionais, este ano em Nampula. Nos últimos três meses foram registados dois casos do género e em todos eles as vítimas são constituídas por homens.

@Verdade