A actuação do ensino técnico profissional no país ainda é preocupante, visto que, num universo de 104 mil alunos, somente uma média de 64 mil fazem o ensino técnico profissional, este ano.

É uma disparidade alarmante já que este ensino é tido como o centro para busca de experiência prática antes de ingressar ao ensino superior ou mercado de emprego.

Em face disso, o governo pretende aumentar esta base numérica de modo a cumprir com o prescrito no programa quinquenal do governo, segundo o qual, objectiva o aumento do número de alunos que aderem a este ensino.

De acordo com o Ministro da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional, Jorge Nhambiu, “há uma grande satisfação no que diz respeito aos avanços do ensino no país comparativamente ao cenário que se viveu pós independência do país”, disse Rebelo.

Contudo, “existem ainda desafios que se resumem no aumento do número de instituições para o ensino técnico profissional e a intensificação do nível de trabalho que se faz”, destacou o governante.

Entretanto, “o maior desafio é a formação dos professores que leccionam nas escolas técnicas bem como a melhoria das condições para formação em termos de equipamentos”, acrescentou.