Organizações da sociedade civil no país  vão realizar, no sábado, em Maputo, uma marcha contra a onda de violência xenófoba na África do Sul, culminando com a entrega de uma carta de repúdio à Embaixada sul-africana na capital moçambicana.

A marcha  representa o repúdio às autoridades sul-africanas perante a onda de xenofobia. É uma condenação veemente à liderança política da África do Sul e às declarações do rei Zulu Goodwill Zwelithini.

Desde que os ataques contra estrangeiros eclodiram na África do Sul, há cerca de duas semanas, mais de 600 moçambicanos refugiram-se em centros de acomodação temporária, dos quais a maioria já regressou a Moçambique.

No passado sábado, uma manifestação também contra a xenofobia na África do Sul e com o mesmo destino foi igualmente promovida por activistas da sociedade civil, tendo reunido apenas cerca de cem pessoas, num protesto não autorizado pelo Conselho Municipal de Maputo.

A nova marcha começará às 07:30 de Maputo e vai percorrer toda avenida Eduardo Mondlane, no centro da capital moçambicana, e terminará na Embaixada de África do Sul, onde será entregue uma carta de repúdio às autoridades diplomáticas sul-africanas.