O projecto Impala, da Cervejas de Moçambique (CDM), continua a impulsionar o desenvolvimento socioeconómico de Moçambique, através do estímulo à agricultura, concretamente o cultivo da mandioca, principal matéria-prima da Cerveja Impala.

Com mais famílias de agricultores envolvidas no projecto Impala, a produção de mandioca não pará de crescer, principalmente nas províncias de Nampula e Inhambane. Nampula, a primeira província a abraçar o projecto, registou em Fevereiro de 2012, a venda de 245,270 raízes de mandioca. Dois anos e meio depois, esse número subiu para 6.426,869, o que mostra o engajamento dos produtores.

Já, na província de Inhambane, onde o arranque do projecto Impala decorreu em Março de 2013, registaram-se números impressionantes. Com uma produção inicial de 25,699 raízes de mandioca, aquela província, regista actualmente a venda de 4.054,820 raízes de mandioca, prova inequívoca do quanto esta região do país abraçou o projecto.

Este recorde histórico na produção de mandioca nestas duas regiões do país, é uma amostra do quanto o projecto Impala, veio revolucionar as zonas rurais de Moçambique. A par dos rendimentos que têm vindo a receber com a venda da mandioca, os agricultores beneficiaram de formações, promovidas pela CDM,

No que toca a técnicas de produção. Isso por sua vez permitiu-lhes aumentar as suas zonas de plantio e a qualidade dos tubérculos. Formou-se aqui um saudável ciclo vicioso, impulsionado pela CDM, que não só estimula o cultivo de um importante tubérculo, como melhora as condições de vida das famílias envolvidas no projecto e, consequentemente, das regiões onde estas vivem. Através deste recorde de vendas de mandioca, a Impala mostrou mais uma vez que é o orgulho das nossas machambas.