Rumo a contagem regressiva para o ano 2020, limite para a eliminação da cegueira por causas evitáveis no mundo, meta do programa “Visão 2020” – direito à visão, instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2000, o Ministério da Saúde (MISAU) pretende eliminar a cegueira curável, num esforço conjunto com os seus parceiros.

Deste modo, através do serviço de Oftalmologia do Hospital Central de Maputo (HCM), o MISAU promoveu, esta quinta-feira (9), uma palestra e rastreio oftalmológico a pouco mais de 500 funcionários do Ministério da Educação, com o objectivo de realçar a importância que a visão tem na vida dos seres humanos.

A actividade insere-se no âmbito das comemorações do dia mundial da visão que se realiza no dia 14 de Outubro.

Na ocasião, a responsável pelo programa, Drª Francelina Lisboa Cavele, médica afecta ao serviço de Oftalmologia do HCM, explicou que a principal causa da cegueira evitável em Moçambique e em todo continente africano é a catarata, uma doença que afecta maioritariamente crianças menores de 10 anos, pois elas estão mais expostas as condições deficientes do saneamento do meio.

“A principal causa da cegueira, não só em Moçambique como a nível mundial, é a catarata, principalmente em países em via de desenvolvimento como o nosso, pois temos uma rede sanitária deficiente, falta de recursos humanos e por isso não conseguimos abranger toda a população afectada. Mas, felizmente, é uma cegueira tratável”, disse Francelina Cavele.

A catarata, o glaucoma, os erros de reflexão, o tracoma e a retinopatia diabética foram as cinco doenças que o MISAU identificou como prioritárias no seu plano nacional para o próximo quinquénio.

Questionada em relação a quantidade de moçambicanos que padecem destas enfermidades, Cavele respondeu que “neste momento estão a ser efectuados estudos para ser identificada a prevalência destas doenças a nível da comunidade para depois realizarem-se as intervenções para a devida eliminação”, salientou a fonte.

Por seu turno, a Drª Amélia Buque, representante do Hospital dos Olhos Dr. Agarwal, parceiro do HCM, realçou que o dia mundial da visão foi instituído pela OMS para que todo mundo reflicta sobre o que é a visão.

De igual modo, a médica apelou aos funcionários e não só que tenham o hábito de fazer o rastreio oftalmológico uma vez por ano para que seja possível eliminar o quanto antes qualquer acção negativa a saúde ocular.

Em parceria com o HCM, o Hospital dos Olhos Dr. Agarwal tem realizado em média anual cerca de 100 operações de catarata as pessoas que venham do hospital público sem nenhum custo.

Este ano, o MISAU celebra o dia sob o lema “Stop cegueira evitável”.