Ministério da Educação (MINED) tem disponíveis para os alunos que se vão matricular na 1ª classe, no ano lectivo de 2015, 1.294.247 vagas.

Segundo o porta-voz do MINED, Eurico Banze, o incremento é de 3.732 vagas, comparativamente aos alunos que entraram pela primeira vez à escola no ano lectivo de 2014.

Com a duração de três meses, as matrículas para os novos ingressos do 1º ciclo não se destinam apenas as crianças que completam 6 anos de idade no próximo ano, mas a todos os menores de 15 anos que nunca tiveram a oportunidade de frequentar a escola e, mesmo as crianças que não foram registadas.

“A matrícula é gratuita, ou seja, não se deve exigir qualquer tipo de pagamento. Também a matrícula é aceite mesmo que não se tenha documento de registo, quer dizer, se por alguma razão a criança não foi registada, mas comprovadamente ela tem idade de ingresso, a escola tem a responsabilidade de aceitar esta criança. O que não se pode é negar a entrada da criança, apenas porque ainda não está registada”, referiu Eurico Banze, porta-voz do MINED.

Para o ano lectivo que se avizinha, cerca de 12.044 escolas do ensino primário irão acolher os alunos da 1ª classe em todo o país, o que significa um aumento de 272 em relação ao princípio do ano lectivo que termina agora.

Apesar dos progressos alcançados pelo sector da educação, o porta-voz do MINED reconheceu que nem tudo é um mar de rosas.

“O Ministério da Educação no quadro do Governo do nosso país continuará a fazer todo o esforço para que as condições das escolas sejam melhoradas. Nós temos consciência de que infelizmente, ainda temos alunos que estudam ao ar livre.”

Nos últimos dois anos, foram construídas mais de 608 salas de aulas em todo país e disponibilizado cerca de 150 milhões de meticais a nível local para aquisição de carteiras.