O Ministério de Educação (MINED) prevê a possibilidade dos exames Extraordinários serem feitos em uma época devido aos altos custos envolvidos no processo e as ausências constantes dos candidatos ao exame.

Esse processo veio para dinamizar o processo de formação e uma oportunidade dada aos indivíduos para a conclusão de nível académico, porém nos exames extraordinários tem se registado um elevado número de candidatos que depois de se inscreverem para o processo não aparecem para o efeito, defraudando desse modo, os cofres do estado em avultadas valores monetárias.

Mesmo sem revelar os valores, o Director Nacional de Exames Certificação e Equivalências no MINED, Jafete Mabote, exemplificou o facto com os últimos exames extraordinários realizados no último mês de Agosto, em que dos 122.291 candidatos inscritos na 10ª e 12ª classe, 14.064 não compareceram à sala de exame.

 “A decisão ainda não foi tomada, mas o problema das faltas é um assunto sério. Estamos a gastar muito dinheiro com este processo e os candidatos pouco o valorizam. Os candidatos inscrevem-se mas na hora da verdade não comparecem. Os 75 meticais que pagam na inscrição nem sequer são 1/5 do custo da operação que aplicamos na elaboração dos exames, armazenamento, transporte, supervisão e muito mais.

Esta questão não é confortável, daí que estamos a estudar a possibilidade de contorná-la. O assunto ainda não está ao nível de decisão, mas a breve trecho teremos de ver se vale a pena realizar os exames duas vezes por ano, ou seja, ao meio (Agosto) e no final do ano (exames finais). Talvez seja melhor realizar apenas uma vez (exames finais), porque muitos candidatos se desleixam, não se preparam devidamente e, sentindo-se incapacitados, optam por faltar aos exames ao meio do ano para realizá-los no final do ano. Portanto, há que repensar se, de facto, precisamos de dois períodos para realizar os exames”, explicou Mabote.

 Portanto, dos 122.291 candidatos inscritos para os exames extraordinários passados, 25.184 são da 10.ª classe, tendo realizado a avaliação um total de 21.952 e faltado 4252, o que corresponde a 16,2 por cento. Português com 20,1 por cento e Educação Visual com 17,6 por cento foram as disciplinas que maior  número de faltosos registaram.

Já para a 12ª classe, dos 97.107 inscritos, prestaram 87.295 candidatos, tendo faltado 9812 candidatos, o que representa a 10,1 por cento do total dos inscritos. Desenho e Português, com 20,9 por cento e 12,3 por cento, respectivamente, foram as disciplinas que registaram maior número de faltosos.

Entretanto, os resultados dos exames extraordinários prestados no mês de Agosto já começaram a ser divulgados em todo o país, assim, todas as direcções provinciais já receberam os resultados da correcção electrónica feita em Maputo, daí que as escolas irão publicá-los ainda dentro desta semana. Adiantou Jafete Mabote

Neste sentido, permitirá que os candidatos reprovados na primeira época, tenham a oportunidade de se inscrever para o exame finais que se avizinham que teve o seu inicio a 1 de Setembro de ano corrente. Estão também contemplados nas inscrições os candidatos externos dos níveis Primário, Secundário e Técnico-profissional, do Sistema Nacional de Educação. Estes exames serão realizados entre 25 de Novembro e 17 de Dezembro deste ano.