O Desportivo de Maputo procura esta tarde no campo do Costa do Sol, diante do Estrela Vermelha, também da capital, dar a volta à desvantagem de 1-2 nos quartos-de-final da Taça de Moçambique/mCel.

Trata-se, portanto, de um embate arriscado para os “alvi-negros”, que, como outras equipas do Moçambola, procuram, nesta que é segunda maior prova futebolística do país, chegar ao título. E só com golos poderão lograr os seus intentos, sendo que o Estrela busca, nesta competição, a estima entanto que equipa da divisão secundária.

Os quartos-de-final prosseguem amanhã. O Costa do Sol recebe, à porta fechada, o HCB com o objectivo de segurar a vantagem de 1-0 conseguida em Tete. Sob castigo, devido às escaramuças provocadas pelos seus adeptos no jogo com a Liga Desportiva de Maputo pontuável para a 16ª ronda do Moçambola, os “canarinhos” jogarão sem o público, situação que pode influenciar negativamente no seu desempenho. Porém, têm depositado nesta prova as suas maiores esperanças, pelo que serão obrigados a dar o seu máximo perante um adversário que, embora não esteja a registar bom momento, não deixa de ser um forte oponente.

Ainda amanhã estarão frente-a-frente os Ferroviários da Beira e de Nampula, no reduto da primeira formação. Trata-se de uma desforra que vai dar muito de falar, porque opõe equipas em igualdade de circunstâncias. Empataram a uma bola, mas os “locomotivas” beirense têm o privilégio de jogar em casa, onde têm sido implacáveis perante o seu ferrenho público.

Na luta pela sobrevivência está também o Ferroviário de Maputo, que já esgotou as possibilidades de chegar ao título no Moçambola, estando neste momento a lutar pela manutenção. Os “locomotivas” da capital defrontam, também amanhã, o seu homónimo de Quelimane, levando a vantagem de 2-1 conseguida em Maputo. Portanto, é um resultado menos confortável, o que exige da equipa treinada por Victor Pontes muitas cautelas, sobretudo porque joga em terreno alheio.