A Polícia da República de Moçambique (PRM), na província de Gaza, informou que um professor da Universidade de São Tomás de Moçambique (USTM) e técnico da Direcção Provincial de Estatística naquela província foi linchado por populares, a semana passada, na cidade de Xai-Xai, confundido com um malfeitor.

A vítima do homicídio voluntário, segundo o porta-voz da PRM em Gaza, Jeremias Langa, respondia em vida pelo nome de Ilídio José Gomes Maswanganhe, de 35 anos de idade.

O linchamento do jovem docente ocorreu na Unidade 6, no bairro de Inhamisso, quando a vítima também residente naquele mesmo bairro ter-se-ia dirigido na calada da noite à residência de uma jovem de 25 anos, membro da Polícia Municipal de Xai-Xai, supostamente com quem mantinha uma relação amorosa.

Ainda de acordo com o porta-voz da Polícia em Gaza, Ilídio teria batido à porta da agente da Polícia Municipal, sendo que a dona de casa ao acordar começou a gritar por socorro, tendo a população saído e pegado o jovem docente.

“Quando a população pegou a vítima, agrediu-a, amarrou os membros inferiores e superiores, e seguidamente o penduraram numa árvore onde acabou perdendo a vida”, disse ao Canalmoz Jeremias Langa, concluindo que na sequência do homicídio “foi detida a dona de casa (membro da Polícia Municipal de Xai-Xai) e dois outros indivíduos considerados cabecilhas do crime”.

Roubo à mão armada

Ainda na semana passada, a Polícia em Gaza disse ter registado um roubo com recurso à arma de fogo, ocorrido em Banga, distrito de Massingir, onde um indivíduo de 31 anos de idade, munido de uma arma de fogo, introduziu-se durante à noite na residência de um casal de comerciantes e roubou 400 mil meticais.

O porta-voz da Polícia em Gaza, Jeremias Langa, disse ao Canalmoz que para além do roubo daquele montante o indivíduo agora preso alvejou a tiros o dono de casa no braço direito e no abdómen, bem como a esposa, nos dois membros inferiores.

No acto da detenção do criminoso, a Polícia refere ter recuperado na posse do mesmo um montante de 200 mil meticais, ou seja, metade do valor roubado e uma viatura de marca Honda, que se supõe ter sido usada na incursão.

Canal Moz